Pular para conteúdo principal

Áreas de atuação

Autoconhecimento

Ter a percepção clara de quem somos, nos permite ponderar nossas atitudes diante das mais diversas situações do dia a dia.

Psicologia

Estudar o comportamento humano, os processos mentais, compreender as emoções e a forma de pensar do indivíduo.

Palestras e Cursos

Você conhecerá melhor suas qualidades, limitações e essência, algo que refletirá em todos os aspectos de sua vida.

Especialidades

Psicologia Clínica, Programação Neuro Linguística, Psicodinâmica em Negócios, Gerenciamento de Emoções e Conflitos.

[]
1 Step 1

Faça aqui, seu pré agendamento

Retornaremos seu contato

Seu nome:seu nome
Melhor dia para contato:of appointment
date_range
Melhor horário para contato:Escolha!
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Lizandra Arita
Siga Lizandra Arita no Facebook
Siga Lizandra Arita no Instagram
  • Em entrevista ao programa Receita na Mesa, da Rede Brasil, batemos um papo sobre o tema: Síndrome do Corpo Perfeito: “Quando uma pessoa procura uma terapia é porque o médico começa a perceber que aquilo já está uma coisa completamente exagerada, e entra realmente na área da psiquiatria de transtorno obsessivo compulsivo, então tudo fica demais. O que a pessoa pode observar é: ela vai na academia todos os dias, não nenhum evento social, se não for relacionado a atividade física, toda vez que ela olhar para ela mesma, por mais que as pessoas digam: ‘você está muito magra’, a mulher continua se sentido obesa e feia. Ou para homem que a gente chama de Vigorexia, porque malha, toma anabolizantes, faz exercícios demais, e além disso, ele não consegue enxergar que está forte e fica achando que ainda está magrinho, que nunca está bom o bastante. Então, a autoimagem que ele tem, não é o que de verdade ele é, ou o que as pessoas dizem para ele, e isso fica um pouco deturpado, fica completamente diferente. Este é um trabalho totalmente multidisciplinar, junto com educador físico, com a nutricionista, com terapeuta – para trabalhar esta autoestima, esta autoimagem e esta insegurança que ele tem, que pode gerar uma depressão ou uma ansiedade muito grande –, e além disso, ele precisa de um médico que possa acompanhar sua evolução. Isso é avaliado de tal forma: se ela faz uma atividade física controlada, e ela consegue fazer outras coisas na vida dela – Ok. Mas, se ela só pensa naquilo, e aquilo já está virando uma obsessão, e mesmo ela conseguindo ficar com um corpo bonito e magro, a pessoa continua insatisfeita” Assista a entrevista na íntegra na minha página do Facebook: fb.com/lizandraarita.psicologia #lizandraarita #lizandraaritapsicologia #psicologia #psicoterapia #terapia #saudemental #sejamaisfeliz #bemestar #psicologiaclinica #psicodinâmica
  • Mesmo diante dos inegáveis avanços, é muito comum, ainda nos dias de hoje, que nós mulheres nos sintamos rejeitadas em determinadas situações. Seja no ambiente político, acadêmico, esportivo, profissional ou mesmo nas questões mais mundanas do nosso dia-a-dia. Sofremos preconceito com o nosso modo de vestir, querem ditar onde devemos estar, o que devemos fazer, falar ou gostar. Sim, ainda no século XXI acontecem essas coisas com algumas de nós, infelizmente. Porém, em contrapartida, o movimento feminino tomou forma e força. Somos milhares, milhões de mulheres que estão dispostas a mudar e a quebrar as barreiras do atraso. Hoje podemos traçar os nossos próprios caminhos. Em determinadas situações, não podemos mais nos sentir excluídas, devemos mostrar que podemos e que temos direito. Ainda há muita ignorância à nossa volta. E, certamente, não será num piscar de olhos que isso vai mudar. Mesmo assim, não podemos esmorecer. Devemos ser altivas e cada vez mais unidas para transformar o modo como somos percebidas, tratadas e reconhecidas. Estamos começando a quebrar paradigmas de que mulheres não podem ser líderes, por exemplo. Somos e podemos, claro! Nossa inteligência estratégica nos faz suportar até hoje certas injustiças que invariavelmente a sociedade ainda comete conosco, aqui e acolá. Mas não podemos mais sofrer qualquer tipo de rejeição que tenha origem em nosso gênero. Devemos nos unir na positividade para que possamos ir além. Podemos construir países, corporações, projetos, conceitos éticos e morais. Somos mais. Não devemos deixar que uma negativa, qualquer que seja, seja capaz de nos amedrontar, nos paralisar, nos calar. Reprovações ainda vão acontecer. Por isso, mesmo diante delas, tenha confiança e determinação para seguir em frente!!! #lizandraarita #lizandraaritapsicologia #psicologia #psicoterapia #terapia #saudemental #sejamaisfeliz #bemestar #psicologiaclinica #psicodinâmica
  • Como cônjuges, um de nossos maiores anseios é que todas as facetas do nosso relacionamento estejam sempre satisfeitas. No entanto, na prática, é muito difícil que isso aconteça. Afinal, as pessoas são muito diferentes umas das outras e todo mundo passa por altos e baixos na vida, de modo que é quase impossível atender a todas as expectativas do outro e estar bem, disposto e de bom humor o tempo todo. É verdade que muitos desses percalços podem ser passageiros ou mesmo facilmente contornáveis. Outros, porém, tendem a ser mais complicados. Algumas pessoas, por exemplo, têm dificuldades na hora de se relacionar sexualmente em virtude de um quadro patológico, derivado de questões emocionais. A Anorexia Sexual é um destes tipos de transtorno, que se caracteriza pela ausência ou aversão às relações sexuais. Não por acaso, a sua nomenclatura faz total analogia à enfermidade homônima, pois enquanto a anorexia nervosa se caracteriza pela rejeição sistemática da comida, a anorexia sexual é identificada como rejeição ao sexo. Em ambos casos, a repulsa é apenas a faceta externa do problema, cuja origem na maioria das vezes é bem mais complexa. Algumas das causas que levam à doença são abusos físicos ou psicológicos sofridos no passado, o estresse, a baixa autoestima, uma vida conjugal monótona, discussões constantes e problemas de convivência. Pode, ainda, ter a sua origem na falta de educação sexual apropriada e até em determinados âmbitos religiosos, políticos e/ou culturais, cenários que podem reprimir ou separar o casal. Na maior parte das vezes, o tratamento deve buscar uma terapia combinada com técnicas cognitivo-comportamentais, educação sexual, exposição progressiva e técnicas para reduzir a ansiedade e o estresse. Por isso, a qualquer sinal de Anorexia Sexual, procure imediatamente um psicólogo. #lizandraarita #lizandraaritapsicologia #psicologia #psicoterapia #terapia #saudemental #sejamaisfeliz #bemestar #psicologiaclinica #psicodinâmica

Blog da Lizandra

Back To Top